Investors’ Sophistication, Freedom to Exit and Risk: A Study of the Brazilian Mutual Stock Funds Industry

Bruno Funchal, Diogo Lourenço, Fabio Yoshio Suguri Motoki

Research output: Contribution to journalArticle

10 Downloads (Pure)

Abstract

No presente artigo investigamos como a sofisticação dos investidores e o nível de liberdade de entrada e saída do fundo se relacionam com os riscos tomados pelos gestores de fundos de investimento em ações no mercado brasileiro. Os resultados mostram que fundos voltados a investidores sofisticados possuem menor risco, indicando possíveis problemas de agência. Por sua vez, fundos fechados possuem risco aumentado, indicando que gestores podem estar aceitando maior risco em troca de maiores retornos no longo prazo. Usamos informações sobre fundos de ações da base Quantum Axis , totalizando 1.280 fundos entre os anos de 2008 e 2013. Para mitigar preocupações com a adequação da medida de risco, usamos três medidas de risco distintas amplamente adotadas: VaR ( Value at Risk ), CVaR ( Conditional Value at Risk ) e Downside Risk .
Translated title of the contributionInvestors’ Sophistication, Freedom to Exit and Risk: A Study of the Brazilian Mutual Stock Funds Industry
Original languagePortuguese
Pages (from-to)45-57
JournalRevista de Contabilidade e Organizações
Volume10
Issue number28
Publication statusPublished - 2016

Cite this